15 de agostoComo o exame de bioimpedância ajuda a potencializar resultados dos exercícios físicos?

Thiago Siqueira, coordenador fitness da Bodytech Tirol, revela que o teste detalha a quantidade de cada tecido no corpo 

Quem pratica ou pretende praticar exercícios físicos comumente se submetem ao exame de bioimpedância. Segundo o educador físico Thiago Siqueira, coordenador fitness da Bodytech Tirol, essa avaliação mede toda a estrutura corporal e é importante para ter um direcionamento na prescrição do treino dos clientes. “Quando entra na academia, um aluno faz o teste e, com base nos dados obtidos, o professor prescreve um programa de treinamento, de acordo com o objetivo, que pode ser emagrecimento, hipertrofia, etc”, explica Thiago.

 

Ele frisa que, concomitantemente, o nutricionista ajusta a alimentação, construindo o trabalho em conjunto a fim de melhores resultados. “Se, dois meses depois, ao refazer o teste, professor e aluno que objetiva emagrecer, por exemplo, constatam que foi eliminado peso, mas que a maior parte foi de massa muscular, e não de gordura, como desejado, o programa de treinamento e a dieta deverão ser ajustados”, continua.

 

Thiago revela que esse direcionamento só é possível porque o teste detalha a quantidade de cada tecido no corpo do avaliado. “Se tivermos que fazer esses ajustes com base somente no peso corporal, visto em balanças comuns, as decisões tomadas serão bem menos precisas”, afirma.

 

Trata-se de um método de avaliação da composição corporal duplamente indireto. Ocorre em uma balança que possui eletrodos que devem ficar posicionados nas mãos e pés. Esses eletrodos conduzem uma corrente elétrica de baixa intensidade que atravessa o corpo. Com base no tempo que essa corrente elétrica demora a passar em cada região do corpo, o software da balança faz uma estimativa, por meio de equações, da quantidade de cada tecido (gordura, musculatura esquelética, musculatura lisa, água corporal total, etc).

 

Por ser um método duplamente indireto, para que seja preciso, é necessário que se respeite um protocolo pré-avaliação e a reavaliação aconteça com horário e condições semelhantes aos da avaliação anterior. Entre os pontos que deverão ser respeitados pelo avaliado estão: não ingerir bebidas estimulantes e alcoólicas 12h antes; não praticar atividade física intensa 12h antes; estar com 3h jejum e não beber líquidos no mesmo período; não frequentar saunas 24h antes (altera o estado de hidratação).

 

De modo geral, não há restrições para realização do exame, exceto para pessoas com pinos, placas metálicas e gestantes. O resultado é um valor estimado, pois para saber os valores exatos, só por meio de dissecção (somente com cadáveres).