05 de novembroFlacidez: é possível prevenir e tratar?

A flacidez pode ser causada por diversos fatores, como pós-parto, ganho de peso, idade, alimentação, deficiência de algumas vitaminas e minerais, entre outros. Um problema que atinge mulheres e homens e, que tem se tornado uma queixa cada vez mais frequente. A boa notícia é que as características desse problema podem ser tratadas, e ainda melhor: é possível prevenir.

Segundo Camila Renata, esteticista que atua na Clínica Emagrecer, a flacidez pode ser evitada com hábitos saudáveis, como uma boa alimentação, rica em ferro e vitamina C, e também com a ingestão de água. Além disso, pode ser utilizada a suplementação de colágeno se necessário, mas sempre orientado por nutricionista.

“Durante a gravidez, é comum que ocorra a retenção liquida corporal e facial. Uma dica é iniciar as drenagens a partir dos três meses de gestação, com liberação médica. A drenagem, associada com acompanhamento nutricional, auxilia na diminuição e controle da retenção no organismo. Além disso, ela traz mais conforto e bem-estar nesse período”, pontua Camila.

A esteticista conta que para tratar o problema já instalado, é possível realizar a criofrequência, um equipamento de alta potência que consegue estimular a produção de colágeno e elastina, melhorando o aspecto da pele. Além desse protocolo, existe o tonebody, que trata a flacidez muscular e tissular. “Além dos equipamentos, usamos produtos ortomoleculares, que preparam o tecido e fazem ele responder melhor aos estímulos da eletroterapia. Porém, recomendamos sempre a avaliação para saber qual foi a causa da flacidez e saber a individualidade de cada cliente, só dessa forma podemos indicar o melhor tratamento”, explica Camila.

E foi isso que Marcela Nogueira, de 38 anos, fez. Depois de ter dois filhos, e engordar cerca de 20 quilos em cada gestação, ela sentia que precisava fazer um protocolo mais efetivo para suavizar as suas queixas. Mesmo se cuidando, tendo hábitos saudáveis e praticando atividade física, a flacidez era o que mais a incomodava. “Faço os protocolos há mais de três anos, dentre eles estão a radiofrequência e a cavitação. A radiofrequência é indicada para flacidez tissular de pele e a cavitação promove a desfragmentação da gordura, no tecido adiposo, por altas intensidades de ultrassons. Me sinto ótima e com a pele mais firme”, conta.